A Cidade Imperatriz

SONY DSC

“Aprecie a beleza que há à sua volta. O lado estético das coisas proporciona harmonia e estimula a melhorar”.

I CHING – O livro das mutações

“Não se espante com a altura do voo. Quanto mais alto, mais longe do perigo. Quanto mais você se eleva, mais tempo há de reconhecer uma pane. É quando se está próximo do solo que se deve desconfiar”. (Santos Dumont)

 

Achei uma edição graceful da I-D em Petrópolis hoje.

E me dei conta que o livro passou do prazo em mais de dez dias e preciso devolvê-lo antes que seja tarde demais. Renova e devolve para mim depois de terminar de ler, por favor. É que nossa cidade não tem muitas opções de bibliotecas (você precisava ver a do Museu Imperial!) e muito pouco, leitores. E caminhar até o SESC duas vezes por semana é o que me escapa de uma vida medíocre e ignorante.
E o seu abraço. E eu te amo saindo do chuveiro na minha orelha antes do café da manhã.
Conte seus desejos para quem sonha, meu amor.
Você disse: Eu sei, mas…
Na presença de gente ignorante, cale-se e seja breve.
Porque eu acredito que todo dia é único; por isso sempre agradeço e bebo água diariamente. Eu acordo bem cedo, respiro me esticando todinho antes de abrir a janela sorrindo para o canto dos pássaros, para a dona Jaguatirica e o verde riquíssimo do quintal. E sem contar, que eu desejo você por toda minha vida e estou contigo para tudo.
A Capa da I-D em Petrópolis! Leonino! Na alegria, no deixa disso – destristeça, na saúde, na beleza, na velhice, na agonia.
Eu fui rever Petrópolis com o Vaguinho na quinta. 5h30 da manhã. Deus disse: Eu te abençoo. 
E achei, pela primeira vez, e você sabe que eu tenho como hábito consumir revistas estrangeiras, achei uma I-D numa banca brasileira! Minha únicas dívidas, publicações gringas e o caderno Ela de O Globo e
(nunca é $19,99)
Acontece que a minha vida não se resume só ao Stand-UP, quanto vale o dólar, mercado de ações, parcela do plano funerário.
Eu amei a escultura do 14-bis na Praça… Hummm… 14-bis.
A biblioteca do Museu Imperial,
A arquitetura futurista da igreja do sei lá o que do Sétimo Dia no centro (amei as vidraças! amei as vidraças!),
O cartaz do La La Land em exibição! Aquele sonho.
O pão redondinho com presunto do Extra;
O preço baratim menina da Itaipava latão, o cappucino, o pão sírio, o sushi.
E os cabelos agêneros dos meninos e meninas afros (o crespo colorido é o novo acessório).
Ah! A música da Odesza combinando e o paletó e o All Star azul;
E eu pedi uma ponta de estoque ao meu mestre espiritual num antiquário,
E visitei uma casa de candomblé para gente viajar sobre Petrópolis;
Eu passei pela aquela catedral gótica enfim…
(Lembrete: Mostrar vídeo imaginário)
Catedral São Pedro de Alcântara. Proibido Parar/Estacionar.
E eu passei por uma escola bilíngue num bairro nobre antes de sentar com calma, pedir o vinho, almoçar e sentir saudades da nossa princesinha.
E dessa distância até Paris.
  • Fim da conversa no bate-papo
  •  Visualizado — 14:51
foto: we ❤ art

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s