O calor não perdoa/22 motivos para amar a Vila Isabel

adonis

 

“Amar sem penar é bem raro… O verbo cumprir custa caro… Amor é bem fácil achar… O que acho mais difícil… É saber amar.”…

“E o tempo avança e a gente agradece… pela vida. Vida de sonhos, verdades, alegrias, de dores, amores e luz. Tenta, mesmo que ao momento seja só lembrança. Viva de forma que seja mistério, incertezas, de luta, de paz e de amor”. (Cartola)

Ok. Você tem meu coração e a senha do meu quarto secreto. Você me tem por completo. Eu sou todo seu até pelo avesso. Quem faz a melhor propaganda vence meu jogo. Você me venceu. Você quer mais o quê? Eu finjo que está doendo. Eu sinto ciúme. Eu sinto saudades. Sete horas na Morada do Sol. Horário de verão. A banda dos bem-te-vis graciosos comemorava o fim do dia na velha mangueira da vizinha. Senti uma calma. Sorri. Olhei a Cavalera. Vamos sair?
Precisava comer. Comida de bar. Larguei meu oboró cheio de chamego para me encontrar com as finas pela Vila Isabel. Eu amo de paixão. Jantar naquela Barra da Tijuca de prédios. Comer? Vamos tomar uma cerveja. Muito quente. E eu sou calor. Nasci para o sol me aplaudir. Eu sou verão. No verão todo mundo reclama meu nome. Meu nome de guerra. Botequim pegando fogo. Quase pelado. Ele me viu. Coé Artur?
Descoloriu o cabelo. Corte novo. Visitou o barbeiro. Entrou numa boutique. Perfume suave. O verão combina com cuidar bem da aparência. E chope.
Pede dois. Ele disse. E sorriu. Tirou uma onça. Puxou um assunto. Quente, não? O negócio é relaxar e bater papo. Jogar conversa fora eleva o humor. Nem sempre o cara é tão gostoso. É que eu sou otimista. Todo mundo é lindo nos contos eróticos. E na minha imaginação. Na minha cabeça tudo é festa. Quer se juntar com as bichas? Quer me ferver?

 

(…)


Sei lá quem morreu. Morrem-se todos diariamente. Quero saber quem está bagaçando. Alegria não se sente por igual. Quando a pessoa é feliz, o calor faz parte. Morrer é uma injustiça. Vamos beber. Qual a vantagem em beber? Tem desvantagem? Por que você não está bebendo também? Por que você não está queimando uma Maria?
Ei psiu. A bicha gritou na mesa. Trafica tirou da bolsa um menu degustação. Quero esses três. Muito obrigado. Vamos onde? Toca para Jaqueira. Toca para o Palmital. Toca para uma quebrada. Aumenta esse som. Toca meu peito.

A Vila não para de crescer. Meu bairro é realmente grande? Quão grande é grande? O que é pequeno? Um copo de cerveja é pouco? Para um alcoólatra é uma dívida no boteco. O maior cara que eu já fiquei passava despercebido aos olhos ofuscados. Ele era simples. Bicicleta simples. Roupa simples. Falava baixo. Sonhava acanhado. Fazia-se enorme. Fazia um bem… Abra bem esses olhos. A vida está ruim? Para de show. Você está ficando cego. Estupidamente cego.
Nunca fiz essa posição de vítima. Né? Não sou passivo nem dando. Nasci para brilhar. Nasci para escrever. E te ouvir. E te amar. E eu falo. Você fala. Monólogo não é verdade absoluta. Seu blá blá blá também aborrece. Você fala. Eu falo. Fala. Eu rio. Fala de novo. Será que eu concordo?

Tira a camisa. Se entregue. Relaxe. Quase perca o controle. Ou perca. Recupere-o no dia seguinte. Quero sua espontaneidade. Quero você.

 

Se você ainda não aprendeu a rebolar depois dos 30 anos, você não passa de um medíocre. Tenho 33 anos. Não sei. Tenho seu amor. Tenho todo o verão e piscina.

foto: adonis bosso black boys

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s