A palavra é de ouro

oraine-barrett phrotoshop

 “Peço pouco, pague-me em palavras; as suas palavras são de ouro”. (Machado de Assis)

“Acredite nas pessoas… Naquelas que possuem algo mais… Aquelas que, às vezes, a gente confunde com anjos e outras divindades… Digo daquelas pessoas que existem em nossas vidas e enchem nosso espaço com pequenas alegrias e grandes atitudes… Falo daquelas que te olham nos olhos quando precisam ser verdadeiras, tecendo elogios, que pedem desculpas com a simplicidade de uma criança… Pessoas firmes… Verdadeiras, transparentes, amigas, ingênuas… Que com um sorriso, um beijos, um abraço, uma palavra te faz feliz… Aquelas que erram… Acertam… Não tem vergonha de dizer não sei… aquelas que sonham… Aquelas amigas… Aquelas que passam pela vida deixando sua marca, saudades, aquelas que fazem à diferença… Aquelas que vivem intensamente um grande amor”…  (Danny Barreto)

 

3:)

E a morte veio me visitar de novo. Pensava nela pela manhã. Penso nela com frequência, amor. Tenho até sonhado com… Ela disse fingindo tristeza ainda de camisola sentada na cama com os pés descalços no chão frio. Tentou chorar, mas faltaram lágrimas. O marido se arrumava sem dizer uma palavra. Arrumava-se para viajar com os amigos. Iria ao Japão.

Ela disse: Não sei o que fazer sem você aqui. Eu fico desanimada. Eu fico perdida.

O marido disse: Hoje é aquela festa que nossa firma patrocinou. Por que você não liga para uma de suas amigas do centro? E vai com elas. Você tem andando muito abatida nesses últimos dias.

Era a escolha do garoto Marrom Bombom. A empresa do casal era a patrocinadora principal. Aconteceria na quadra da Mocidade da Vila Isabel. Com grupos de pagode, bateria da escola, passistas…

Ela: Não sei. Acho que vou tomar um ou dois calmantes e ficar em casa. Talvez eu leia. Ou assista a um filme. Tão desanimada. Mas espero que minha tristeza não abale sua jornada. Quero que você tenha uma boa viagem. E divirta-se. Acho que eu não nasci para a diversão.

O marido deu um beijo na testa da esposa dizendo que faria o possível. E que também seria bem difícil ficar longe dela. A esposa deitou-se na cama. E finalmente chorou. E quando o carro do esposo partiu em direção ao Rio de Janeiro, ela pegou o telefone.

Alô? É do centro de valorização da vida?

Uma voz grossa de homem respondeu do outro lado: Renata é você, querida? O que você quer? O que posso fazer para te fazer mais feliz?

Traga 25 gramas da pura. Uma caixa de cerveja. E camisinhas. Hoje eu quero beber todas. Vingar-me. Hoje eu vou festejar! E levantou animada da cama. Ligou o aparelho de som. Aumentou no último volume. E tirou logo a calcinha. E a camisola velha. E correu para o banheiro para tomar banho e fazer a maquiagem rindo alto do marido idiota.

Foto:  #Oraine Barrett #Male Model #photoshop

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s