Doce

“Para onde vai a minha vida e quem a leva?
Porque eu faço sempre o que não queria?
Que destino contínuo se passa em mim na treva?
Que parte de mim, que eu desconheço, é que me guia?”

Iansã (Caetano Veloso e Gilberto Gil)

“O melhor lugar do mundo é aqui e agora.
Aqui, onde indefinido, agora, que é quase quando”.
(Gilberto Gil)

Calor do caralho. Deus abençoe o verão que está chegando. Aí a trava ligou. Gisele, vamos para beira do rio? Topei logo. Hoje é dia de ouvir sim. Dizer sim em retorno. Chega de mentir. Você nasceu para respirar, comer, beber, amar. Amar seu semelhante. Disse já estou arrumado. Deixe-me só ver o que eu vou levar para gente devorar ao lado das águas. O que eu tinha na geladeira? Abri e tirei uma porção para duas princesas: Laranja, acerola, abacate, manga, limão, frango e peixe. Água. Duas garrafas generosas. Bem gelada. Quase congelada. E uma cachacinha mineira. E seis pastéis de queijo. Coloquei tudo na eco bag que eu achei no lixo com reproduções do Romero Britto. Amarela. E mais: camisinhas, copos, uma faca, isqueiro, aqué matinho, livro de poesia e mais o quê? Protetor solar. Fator 50. Coloquei uma bermuda preta de um estilista novo. Camiseta de algodão com uma lavagem marmorizada. Chinelos. E colar. Sunga preta. Comprei a sunga numa sex shop. Tamanho P. Antes das oito, rua. Esquina da rua M com a subida da Rua N. Esperei a trava.

Aparece a outra no shortinho e camiseta branca de algodão.  Subiu rápido. Mochila. Mochila de estudante.  Chinelo. Relógio. Sorriso, beijo e abraço de leve. Rio Paraíba do Sul. O lugar que me deu tanta alegria nessa minha vida miserável, hoje lembrava a morte. Eu vi primeiro as fotos nas redes sociais e li depois no Entre-Rios jornal quando eu fui buscar pão e pó de café. Adolescente morre afogada em Três Rios. 15 anos. Mainara Mendes dos Santos. Foi encontrada flutuando perto do Hotel Pontal. Próximo ao local mais famoso da cidade.

Ela disse: Gisele! Eu não entro nem na praia sem que Iemanjá permita. Beira de rio, lagoa, cachoeira.  Tem que respeitar a natureza. A natureza está viva. Ela te dá, ela te tira. Abusou, ela te tira. Morreram quatro esse mês por aqui afogados. E a gente ainda está em outubro. Dezembro não vai sobrar ninguém para ver as chuvas de janeiro.

Foto: Favim #apple #hand #red

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s