Os desastres de Cecília

A menina surda. Ela só tem oito anos.  Ouviu a professora assobiar. Fiu fiu fiu fiu fiu. Quá, quá, quá, quá. Não coloquei tag. Peraí. Eu fico ouvindo música e esqueço-me da vida. As pessoas não podiam ser mais automáticas? Eu não sei. Olha. Olha. A professora faz o seu papel de professora. Gosta da Fernanda Torres. Acha ela digna. Digna com sete letras g. G de gororoba. G de comida gostosa. Fernanda Torres é muito digna. Já sei. Quem fará o papel da professora no meu próximo filme será Fernanda Torres. Jeans e camiseta branca. A professora que despertou a menina maluquinha que existe em você.

Não este não será o nome do filme. Muito óbvio. O nome pode ser uma música? Um número? Uma peça de teatro? Que calor é esse, gente? A professora desfila. Ela é abusada. Professora. Ela tem doutorado. Ela mora no Brasil. Morada do sol. Que calor é esse, gente? Adoro calor. Você gosta? Eu moro na Morada do sol. Eu tenho essa sorte. Eu acordo. 5h54 da manhã. É a hora que o sol se encontra matematicamente perfeito em sintonia com a música que me desperta. Que me dá a alegria de estar viva. Querem água? Eu peguei dois copos. Hum… Como eu sei que você quer água? Eu não sei. Faço isso por educação. É cafona? Não. Educação nunca é cafona. Meu pai queria que eu fosse homem. Que babaca. Minha mãe também, mas. Porque ela queria que eu andasse de bicicleta. De skate. De patins. Usasse boné. Bermudão. Camisa largada. Eu disse: Mãe, tudo bem. Eu não gosto muito de boné não. E mudança de sexo? Essa operação de mudança de sexo. Essa operação de adequação sexual machuca muito. Não faço plástica. Você teve muito tempo para pensar em me abortar. Você podia ter me entregado para adoção. Você me amamentou mais que o recomendado.

O copo com a água está na mesa da professora. Quem quiser que pegue. Ela sabe. Ela é professora de filosofia da arte. Doutora. Doutora porque tem doutorado. Ela alonga o calor. Aquecimento. Ela faz alongamento.

A menina surda. Esquece da dor que sentiu… Esquece um milésimo de segundo da dor que sentiu quando… Eu não entendo esquecer? Você deixa para lá. Você parte. A menina surda. Cecília. Assim como a escritora. Você sabe quem foi Cecília? Cecília é o nome da minha rua.

Cecília ouve o assobio da professora. É um milagre. A menina surda ouve o assobio da professora. Ela sorri. E Cecília ouve pela primeira vez que sua risada era a mais engraçada de todas.

Anúncios

Um comentário sobre “Os desastres de Cecília”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s